Meu amor, se queres cerejas

Meu amor, se queres cerejas,
Apega-te à cerejeira…
Vai comendo e vai botando,
Vai metendo para a algibeira.

Antoninho pé de cravo
Manuel, pé de cereja…
Os meus olhos não se riem,
No dia em que te não veja.

Branquinha como o papel
Corada como a cereja…
Tu és a cara mais linda
Que entra na nossa Igreja.

Branquinha como o papel
Corada como a cereja…
Tu és a primeira fruta
Que o meu coração deseja.

Chamaste-me cerejinha,
Diante de toda a gente…
Agora me queda o nome:
cerejinha para sempre.

AS/CDEM

Advertisements