Eu sou como a triste rola

Eu sou como a triste rola
Quando seus amores perde
Não põe pé em ramo verde
Nem água clara bebe.

Passarinhos que cantais
Em ramos dependurados
Cantai vós, chorarei eu
Faz assim quem não tem cuidados.

APL/CPVR

Anúncios

Pegue lá este raminho

Pegue lá este raminho
De alecrim por aparar;
Se não for ao seu agrado,
Tornará-mo a mandar.

Pegue lá este raminho,
Pegue nele por o pé;
Eu bem sei que estou falando
C’um amor que doutro é.

Pegue lá este raminho,
Pegue nele pelo meio;
Eu bem sei que estou falando
C’um amor d’outro asseio.

Pegue lá este raminho
Pegue nele por a ponta;
Eu bem sei que estou falando
C’um amor que não faz conta.

Pegue lá este raminho
De folhas de castinheiro
Atado com linhas pretas,
O retrós custa dinheiro.

Pegue lá este raminho
Que no meio leva goivos;
Este ano conversaremos,
P’rò ano seremos noivos.

Pegue lá este raminho
De rainhas e morangos;
Este ano conversaremos
P’rò ano ‘staremos ambos.
(Jolda, c. de Arcos de Valdevez.) I-154