A laranja quando nasce

A laranja quando nasce
Pergunta ao limoeiro
Qual dos amores é mais firme,
Se o segundo se o primeiro.

JLD/ EB-IX: 215

A Sertã é das laranjas,
Cernache das tangerinas,
Troviscal é dos rapazes,
Figueiredo das meninas.

JLD/ EB-IX: 201

A Sertã é das laranjas,
Figueiró das tangerinas,
Cernache dos rapazes,
Pedrógão das meninas.

O laranjal de Pedrógão
Só uma laranja tem,
De roda ninguém lhe chega,
Acima não vai ninguém.

JLD/ EB-IX: 209

Anúncios

Daquela janela alta

Daquela janela alta
Me atiraram um limão;
A casca deu-me no peito
O sumo no coração.

Trago dentro do peito
Cidra, laranja, limão;
Para trazer toda a fruta
Falta-me o teu coração.

Eu subi ao limoeiro
Para apanhar dois limões;
É tempo de se juntarem
Nossos ternos corações.

Tanta lima, tanto limão!
Tanta silva, tanta amora;
Tanta cachopa bonita,
Meu pai sem ter uma nora.

A laranja quando nasce
Nasce logo redondinha;
Também tu quando nasceste
Logo foi para ser minha.

TB/CP

Limoeiro da calçada

Limoeiro da calçada
Já não torna a dar limões
Que lhe cortaram a rama
Para render corações.

Assubi ao limoeiro
Lá no meio fiz encosto
Em amar-te fiz muito bem
Mas não fui eu do teu gosto.

Eu subi ao limoeiro,
Cheguei ao meio caí…
Se o limoeiro é morte…
Eu para morrer, nasci.

A silva verde, cheirosa
Assubiu ao limoeiro
Anda lá de ramo em ramo
Se cai ao chão perde o cheiro.

AS/CDEM