Chamaste-me pêra parda

Chamaste-me pêra parda,
Pêra parda quero ser,
Lá virá o mês de Agosto
Que tu me queiras comer.

JLD/EB-IX : 217

Anúncios

Ao almoço me dão pêras

Ao almoço me dão pêras
Ao jantar pêras me dão
À merenda pão com pêras
À ceia pêras e pão.

Atirei à pêra parda
Acertei na de Baguim
Todas as penas se apagam
Só as minhas não têm fim.

Atirei ao pêro doce
Que tava no pereiro alto
Faltará o sol à lua
Eu ao meu amor não falto.

Dá-me da pêra metade,
Da maçã um bocadinho,
Da laranja um só gomo,
Da tua boca um só beijinho.

Deste-me uma pêra verde
Na minha mão amadura.
Não sei que amor é o teu,
Que tão pouco tempo dura.

Deste-me uma pêra verde
Na minha mão foi madura.
Quiseste-me experimentar
Amor firme não se muda.

Deste-me uma pêra verde
Para eu amadurar.
Quem é verde, verde fica
Quiseste-me experimentar.

Estes rapazes de agora
Estes que de agora são,
São como a pêra madura
Dá-lhe o vento, cai no chão.

Já que me deste a pêra
Dá-me também a navalha.
Tu bem sabes que eu não como
Pêra sem ser aparada.

Pêra que estás na pereira
Amarela, de madura
Para quem estás guardada
Pêra que tanto atura.

Toda a moça bonita
Não devia de nascer
É como a pêra madura
Todos a querem comer.

ACPL/CPVR

A laranja de madura

A laranja de madura
Caíu no tanque da neve;
Mais vale a solteira triste,
Do que a casada alegre.

Atirei c’uma laranja
Por meio de Chaves fora
A laranja caíu dentro
Adeus Chaves vou-me embora.

Da banda de além do rio,
Da outra banda de além,
Tem meu bem um laranjal
Que muitas laranjas tem.

Dá-me da pêra metade,
Da maçã um bocadinho,
Da laranja um só gomo,
Da tua boca um só beijinho.

Menina das laranjinhas
Quantas dá por um vintém
Dou uma a quem me dá duas
Dou três a quem me quer bem.

Tenho dentro do meu peito
A laranja partida
Para dar ao meu amor
Que anda de beiça caída.

ACPL/CPVR

A maçã da macieira

A maçã da macieira
Não deve ser enxertada
É como a moça solteira
Que espere de ser casada.

A maçã que tu me deste
Nem a comi, nem a dei;
Tenho-a na minha caixa…
Com ela, te pagarei.

Da maçã quero uma trinca
Da pêra uma talhada
Da laranja quero um gomo
Do limão não quero nada.

Minha maçã picadinha
Picada de rouxinol;
Se não foras picadinha
Eras linda como o sol.

Minha maçã vermelhina
Picada de rouxinol;
Quem te picou que te coma,
Que já te tirou o melhor.

Minha maçã vermelhinha
Criada na macieira…
És bonita em casada…
Que faria em solteira.

Ó alta serra das neves
Onde se pinta a lindeza…
Hei-de pintar o teu rosto
Com uma maçã camoesa…

Para a semana que vem
Vou à feira dos Carvalhos
Vender maçãs e marmelos
Mercar cebolas e alhos.

AS/CEDM

Eu gosto muito de pêras

Eu gosto muito de pêras
Sendo elas cabaçais
Gosto do nome de António
De Joaquim muito mais.

Eu gosto muito de pêras
Sendo elas de Amorim.
Gosto do nome de António
Muito mais de Joaquim.

Pereira, dá-me uma pêra.
Ó silva, dá-me uma amora…
Meu amor, dá-me um abraço,
Que me quero ir embora.

AS/CEDM

Pêra verde

Deste-me uma pêra verde,
Para eu amadurar.
Pêra verde, ó da verde pêra ,
Pêra verde não m’há-de enganar.

Pêra verde não m’há-d’enganar,
Pêra verde não me engana, não.
Deste-me uma pêra verde,
Ai, amor do meu coração.