Chamaste-me pêra parda

Chamaste-me pêra parda,
Pêra parda quero ser,
Lá virá o mês de Agosto
Que tu me queiras comer.

JLD/EB-IX : 217

Anúncios

A laranja quando nasce

A laranja quando nasce
Pergunta ao limoeiro
Qual dos amores é mais firme,
Se o segundo se o primeiro.

JLD/ EB-IX: 215

A Sertã é das laranjas,
Cernache das tangerinas,
Troviscal é dos rapazes,
Figueiredo das meninas.

JLD/ EB-IX: 201

A Sertã é das laranjas,
Figueiró das tangerinas,
Cernache dos rapazes,
Pedrógão das meninas.

O laranjal de Pedrógão
Só uma laranja tem,
De roda ninguém lhe chega,
Acima não vai ninguém.

JLD/ EB-IX: 209

Loureiro, verde loureiro

Loureiro, verde loureiro,
Loureiro de baga preta,
Na vida dos namorados
Sempre há-de haver quem se meta.

JLD/EB-VIII: 242

Hei-de subir ao loureiro
A colher uma vardasca
Para dar ao meu amor
Que anda a passear na praça.

JLD/EB-VIII: 246

Ó loureiro, ó loureiro,
ó loureiro ramalhudo,
Faça mal quem quiser
Que o loureiro paga tudo.

Rouxinol do bico preto,
Deixa a baga do loureiro,
Deixa dormir o menino,
Que está no sono primeiro.

JLD/ EB-IX: 213

Senhora da Confianças
Tem as portas de loureiro;
Podia-as ter de ouro,
Porque é rica, tem dinheiro.

JLD/ EB-IX: 221

O loureiro é pau preto,
as flores que dá são brancas.
Como te hei-de dar carinhos
Se as minhas penas são tantas?

JLD/ EB-X: 248

Se a oliveira falasse

Se a oliveira falasse,
Ela diria o que viu,
Debaixo da sua rama
Dois amantes encobriu.

A oliveira cordevil
Deita azeite mais claro,
Alumia todo o ano
À Senhora do Rosário.

JLD/EB-VII: 248

Apanhemos a azeitona
Que tem o azeite dentro,
Que alumia toda a noite
O Santíssimo Sacramento.

JLD/EB-IX: 206

Oliveira pequenino
Que azeitona pode dar?
Um baguinho até dois
É o muito carregar.

JLD/EB-IX: 211

Oliveira pequenina
Não se vai acima dela.
Menina que fala a todos
Não se faz caso dela.

JLD/EB-IX: 216