Ao almoço me dão pêras

Ao almoço me dão pêras
Ao jantar pêras me dão
À merenda pão com pêras
À ceia pêras e pão.

Atirei à pêra parda
Acertei na de Baguim
Todas as penas se apagam
Só as minhas não têm fim.

Atirei ao pêro doce
Que tava no pereiro alto
Faltará o sol à lua
Eu ao meu amor não falto.

Dá-me da pêra metade,
Da maçã um bocadinho,
Da laranja um só gomo,
Da tua boca um só beijinho.

Deste-me uma pêra verde
Na minha mão amadura.
Não sei que amor é o teu,
Que tão pouco tempo dura.

Deste-me uma pêra verde
Na minha mão foi madura.
Quiseste-me experimentar
Amor firme não se muda.

Deste-me uma pêra verde
Para eu amadurar.
Quem é verde, verde fica
Quiseste-me experimentar.

Estes rapazes de agora
Estes que de agora são,
São como a pêra madura
Dá-lhe o vento, cai no chão.

Já que me deste a pêra
Dá-me também a navalha.
Tu bem sabes que eu não como
Pêra sem ser aparada.

Pêra que estás na pereira
Amarela, de madura
Para quem estás guardada
Pêra que tanto atura.

Toda a moça bonita
Não devia de nascer
É como a pêra madura
Todos a querem comer.

ACPL/CPVR