Oliveiras, oliveiras

Oliveiras, olivais,
São mais as penas que tenho
(Valem mais as minhas penas/Bragança)
Que a azeitona que vós dais.
(Sortelha, c. do Sabugal.)I-29

Oliveiras, oliveiras,
Oliveiras, olivais,
As galinhas vão-se ao trigo,
A culpa é dos pardais.
(Sortelha, c. do Sabugal) I-33

Oliveiras, oliveiras,
Oliveiras, olivais,
Valem mais as minhas penas
Que a azeitona que vós dais.
(Bragança) I-29

Oliveiras, oliveiras,
Oliveiras, olivais,
Trago o coração mais negro
Que a azeitona que vós dais.
(Jarnelo,c. da Guarda;Torre de Moncorvo) II-57

Chova água, cresça o rio,
Arrasem-se os olivais,
Venha o vento e me leve
Lá para onde vós estais.
(Sabugal) II-24