Maçãzinha

Deixa-te estar, maçãzinha,
A sombra da macieira;
Se te deixas abanar,
Já não achas quem te queira.

Já não achas quem te queira
A sombra do alvoredo;
Não te deixes abanar,
Que até no amor há medo!
(Seia.) I-128