Limoeiro da calçada

Limoeiro da calçada
Já não torna a dar limões
Que lhe cortaram a rama
Para render corações.

Assubi ao limoeiro
Lá no meio fiz encosto
Em amar-te fiz muito bem
Mas não fui eu do teu gosto.

Eu subi ao limoeiro,
Cheguei ao meio caí…
Se o limoeiro é morte…
Eu para morrer, nasci.

A silva verde, cheirosa
Assubiu ao limoeiro
Anda lá de ramo em ramo
Se cai ao chão perde o cheiro.

AS/CDEM