Mal o haja o eucalipto

Mal o haja o eucalipto
Que tão longe foi nascer!
Tem um nome tão bonito,
É tão triste a vida dele.
(Tolosa, c. de Nisa.) I-28